Sobre a importância de personagens mulheres nos filmes infantis.


Lembro de uma vez estar conversando com uma amiga sobre os filmes que assistíamos quando criança. A gente comentava sobre umas fitas que nunca saíam do videocassete e como eu me sentia deslocada quando a pauta era “filme favorito da infância” porque não, não sei as músicas do “Rei Leão” de cor (nem gosto desse filme, apesar de ter marcado a minha existência como o primeiro que assisti numa sala de cinema).

Comentei que meus filmes favoritos eram “A Princesinha” e o “Jardim Secreto” (era uma fita VHS que vinha com os dois filmes). E eu assistia um filme e depois o outro, e depois o primeiro e depois o segundo, e repetia o segundo, e depois via de novo o primeiro… em looping. Comentei também como AMAVA assistir “Matilda”.

Image for post
Matilda — Google Imagens

Daí a minha amiga disse “ você gostava tanto de assistir a esses filmes porque eles têm personagens femininas fortes… E você se identificava com elas”. Naquele momento rolou uma tela azul. BAM. Sim. Nunca tinha pensado nessa perspectiva. E sim. Eu queria ser um pouco Sarah, Mary e Matilda.

Image for post
Punky! A Levada da Breca — Google Imagens
Image for post
A Princesinha — Google Imagens

E Punky! Nossa, como eu amava assistir “Punky, a levada da breca”, ter um quarto com teto estrelado, um cachorro chamado Pinky e ter amigas parceiras para o que der e vier.

Não tão claro na memória tem a série “Blossom”, mal lembro do enredo, ficou apenas o registro afetivo da protagonista e de sua melhor amiga (com a ajuda do pai Google: se chama “Six”).

É incrível agora, quase aos 30, revisitar de maneira crítica estas obras audiovisuais que contribuíram para a minha construção sem eu nem perceber.

Notar que a lealdade e o comprometimento de Mary com seu primo, está na relação que tenho com a minha irmã; que a curiosidade da Matilda está na minha busca constante por informações; que o encanto da Sarah por contar estórias está na minha paixão pelo teatro; que a forma irreverente e divertida da Punky está na minha personalidade e como a Blossom me mostrou que posso falar sobre qualquer coisa, sem tabu.

Image for post
Jardim Secreto— Google Imagens

Sobre os filmes e séries citadas:

A Princesinha: Alfonso Cuarón| EUA| 1995 | Drama/Fantasia
Sinopse: Uma menina é obrigada a viver em um internato de Nova York quando seu pai vai para a guerra. Enquanto tenta se adaptar às regras do local, ela faz amizades e inimizades e usa a imaginação para mudar o mundo ao seu redor.

Matilda: Danny DeVito| EUA| 1996| Fantasia/Comédia
Sinopse: Matilda é uma criança brilhante que cresceu em meio a pais grosseiros e ignorantes. Ambos ignoram a filha, a ponto de esquecerem de matriculá-la na escola. Desta forma, Matilda fica sempre em casa ou na livraria, onde costuma estimular sua imaginação. Quando Matilda descobre que possui poderes mágicos, Harry resolve enviá-la à escola. O local é controlado com mão de ferro pela diretora Agatha Trunchbull, então Matilda precisa usar seu talento especial para proteger seus amigos e sua professora.

Jardim Secreto: Agnieszka Holland | EUA – UK| 1993 | Drama/ Fantasia
Sinopse: Sob os cuidados de uma governanta, encontram-se em uma casa grande de campo, três crianças: a órfã e rebelde Mary, o mimado Colin e o gentil e atencioso Dickon. Eles descobrem um jardim secreto abandonado, que se transforma em um lugar mágico.

Punky, a Levada da Breca: 4 Temporadas| EUA| 1984–1988 | Comédia
Sinopse: Penélope “Punky” Brewster é uma garota bem-humorada, abandonada pelos pais. Na companhia do seu cão Pinky, descobre um apartamento vago num prédio e passa a viver lá. O administrador do prédio a adota e com suas amigas passa por grandes aventuras.

Blossom: 5 Temporadas | EUA | 1991–1995 | Comédia
Sinopse: Blossom é uma adolescente de 15 anos, muito inteligente e sarcástica, que mora com o seu pai Nick Russo e seus irmãos. Ela passa os dias tentando dividir sua atenção entre os pais e os irmãos — Joey, que só pensa em meninas e baseball, e Anthony um dependente químico tentando se recuperar. Sua mãe, separada de seu pai, largou tudo para viver sua própria vida e tentar realizar um sonho: obter sucesso como cantora — assim, foi morar em Paris, onde Blossom sonha ir para visitá-la.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *